Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2010 10 Alagoas recebe Força-Tarefa da Polícia Judiciária
08/10/2010 - 11h02m

Alagoas recebe Força-Tarefa da Polícia Judiciária

45 policias treinados em Brasília chegam ao Estado em novembro

Alagoas recebe Força-Tarefa da Polícia Judiciária

Turma já recebe ensinamentos da FN

Else Freire

O Grupo de Planejamento Logístico da Força Nacional chega a Alagoas na próxima terça-feira (12). A informação foi dada pelo secretário de Estado da Defesa Social, Paulo Rubim, durante reunião com a equipe de policiais civis alagoanos que participaram da instrução de nivelamento do conhecimento da Polícia Judiciária da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), em Brasília.

O encontro com a cúpula da Segurança Pública está marcado para a próxima semana, na Defesa Social, entre os representantes do Ministério da Justiça e Direção Geral da Polícia Civil, com a intenção de planejar a ação da força-tarefa no Estado.

Os 45 policiais civis do grupo de elite destinado a Alagoas, devem chegar no começo de novembro. Os policiais vão permanecer no Estado durante dois meses e vão atuar na conclusão de inquéritos pendentes.

Para o secretário de Estado da Defesa Social, Paulo Rubim, todos os inquéritos pendentes instaurados serão alvo de investigação, para dar uma resposta à sociedade e acabar com a impunidade. Com a vinda da força-tarefa, estima-se que serão investigados cerca de 4 mil homicídios ocorridos em Alagoas.

“A princípio, vamos receber os policiais com a previsão de permanência de 60 dias, mas temos a possibilidade de prorrogar este prazo por mais 60. Tempo que julgo suficiente para o trabalho. É importante lembrar que os policiais civis da FNSP irão trabalhar especificamente com homicídios, em levantamentos de inquéritos e oitivas”, ressaltou.

Alagoas - O Estado de Alagoas enviou cinco policiais civis para o curso de nivelamento. A formação teve como objetivo de capacitar os operadores de segurança no auxílio da apuração de inquéritos não investigados.

Na grade curricular, aulas práticas e teóricas, dentre elas: Psicologia das emergências; Direitos Humanos; Uso diferenciado da Força, Tito Tático, Coleta e Valorização da Prova, Investigação Policial; Inteligência em Segurança pública e Investigação em homicídios.

A primeira turma da força-tarefa treinada pela Força Nacional foi formada por 140 policiais de todos os estados, com exceção do Acre. Desse total, 40 policiais se especializaram na investigação de homicídios.

Ações do documento