Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2012 04 - Abril Grupos vulneráveis têm apoio da Defesa Social
27/04/2012 - 13h44m

Grupos vulneráveis têm apoio da Defesa Social

Seminário debateu temas importantes para o bom convívio sócio-profissional

Grupos vulneráveis têm apoio da Defesa Social

Por Amélia Sandes

 

O Núcleo de Ensino Integrado da Secretaria da Defesa Social (Seds) encerrou, nesta sexta-feira (27), o 2º Seminário de Atuação Policial Frente à Proteção e Promoção dos Direitos dos Grupos Vulneráveis. A programação abordou importantes temas voltados para os servidores de segurança com o objetivo de prepará-los para o atendimento a pessoas deficientes, idosos, crianças, mulheres vítimas de violência, moradores de rua e homossexuais. No encerramento, os alunos receberam os certificados de participação no seminário.

 

O seminário adotou como foco, a preservação dos direitos humanos de indivíduos classificados como vulneráveis. Um dos quesitos foi a forma como os agentes de segurança abordam e prestam atendimento à essas pessoas, respeitando suas preferências, diminuindo sua fragilidade e valorizando suas peculiaridades.

 

Na palestra sobre o público infantil, o pediatra e superintendente da Criança e do Adolescente, Cláudio Soriano, afirmou que 2/3 das crianças que sofrem agressão têm menos de três anos de idade e 1/3 menos de seis meses. Este é um público que precisa de uma atenção muito especial por parte dos policiais devido a sua alta fragilidade. “Crianças que choram sem motivo aparente, demonstram desconforto quando são pegas no colo e com comportamento extremamente agressivo, dão fortes indícios que são vítimas de violência”, explicou o pediatra.

Ele também afirmou que o local onde os pequenos mais sofrem agressão é nas próprias residências. “Apesar da agressão sofrida, retirar a criança do seu meio social é mais uma violência contra ela. Por isso é importante buscar um parente que tenha condições de cuidar do menor ou mesmo um vizinho que ele conheça”, esclareceu.

 

Nesta segunda edição, o seminário teve carga horária de 30 horas/aula e contou com grande participação dos servidores dos órgãos de segurança e representantes da sociedade que lotaram o auditório da Procuradoria Geral do Estado.

 

Para a gerente do Núcleo de Ensino da Seds, Sueli Cavalcante, os policiais que participam do seminário têm a chance de aprimorar o modo de tratar os integrantes dos grupos vulneráveis. “Nossa meta é conviver bem com todas as pessoas, com destaque para a não discriminação de indivíduos e saber como tratá-los em nosso trabalho, contribuindo para diminuir uma possível agressão sofrida”, explicou.

 

Segundo o secretário da Defesa Social, coronel Dário César, a sociedade precisa olhar melhor para os grupos vulneráveis. “É preciso mudar postura. O preconceito nos divide, nos afasta. Os ensinamentos, os exemplos dados neste seminário devem ser levados para os colegas que não estão aqui, porque os chamados vulneráveis precisam que olhemos de uma forma melhor para eles”, disse.

 

O pensamento é partilhado pelo policial civil, Dorgival Pires.“Precisamos conhecer melhor para tratar de forma adequada as vítimas de violência”, finalizou.

Ações do documento